Rodrigo Santiago

Embriagado de amor

In Maluquice on 3, setembro, 2003 at 19:07

Adam Sandler em um filme de Paul Thomas Anderson? Bom, isso no mínimo é curioso, Sandler, comediante vindo do Saturday Night Live, seus filmes todos na comédia besteirol – há quem não goste, eu particularmente gosto – em uma comédia sobre o amor. Quem não conhece o trabalho de P.T. Anderson (“Boogie nights”, “Magnólia”, entre outros) acha que vai ser mais uma comédia romântica bobinha, regada a besteirol típico de Sandler, mas quem conhece os trabalhos anterios de Anderson SABE que não vai ser assim. E é só ler a sinopse, ou ver o trailer para ver o que espera.

A grande surpresa do filme é ver Adam Sandler interpretando em parte o que ele mais sabe fazer: ter acessos de fúria, porém, esse não é um típico Sandler, e ele atua magnificamente como o solitário Barry Egan, que tem problemas de relacionamento e dificuldade de dividir seus segredos mesmo com suas sete (isso mesmo, sete) irmãs. Essa quantidade de irmãs fazem com que Barry sinta-se inseguro, pois também não buscam compreender as angústias dele. 

Após ligar para uma companhia de sexo por telefone, a vida de Barry começa a mudar: a garota que o atende começa a importunar-lhe querendo extorquir uma maior quantia de dinheiro dele, ele recusa e essa companhia começa a persegui-lo para conseguir o dinheiro. Em meio a isso tudo, Barry descobre uma falha em uma promoção de uma empresa alimentícia e uma companhia aérea, o que vai lhe dar a vida inteira de milhas grátis, e começa a florescer um romance entre ele e Lena Leonard (Emily Watson), colega de trabalho de sua irmã, o que vai fazer Barry enfrentar suas dificuldades e vencer as barreiras psicológicas que o atrapalham em avançar na vida. 

Aqui também há de se ver muito dos símbolos que Anderson utiliza, como nas várias placas de saída que aparecem em determinadas cenas (como no edifício onde mora Lena, na loja de colchões), transições mosaico-coloridas pipocando como um grande caleidoscópio, separando o filme em atos. A cena mais marcanteé quando Barry está no Hawaii atrás de Lena, e liga para o hotel onde está hospedada, ao ouvir a sua voz, a luz do telefone público acende e os gritos da multidão ecoam, mas não de graça, a luz se deve por estar anoitecendo, e a multidão está eufórica devido à parada que acontece na rua em que Barry está telefonando. Os planos e movimentos de câmera suaves também estão presentes, e servem para ilustrar aspectos do filme, como a solidão de Barry, já na cena inicial, mostrando Barry quase no segundo plano, no canto esquerdo da tela, e o resto do plano um grande vazio, preenchido somente pelas paredes de sua empresa. 

Este, ao contrário de “Boogie nights” e “Magnólia”, é um filme curto (95 min.), já que conta apenas a história de Barry, e depois de Lena, porém uma história conjunta, ao contrário dos dois outros filmes que se detinham sobre vários personagens, em torno de um tema comum pode-se dizer. Porém, em “Embriagado de amor” os únicos personagens são Barry e Lena, os outros podem ser resumidos de coadjuvantes a meras participações especiais (e põe especiais nisso, Philip Seymour Hoffman está muito bem no papel do chefe da companhia de sexo por telefone e da D & D Rei dos Colchões). 

Enfim, “Embriagado de amor” é um filme que te deixa tonto por apresentar personagens tão reais e ao mesmo tempo parecendo retirados de uma fábula, que deixa uma grande barreira quase intransponível entre o espectador e o filme, fazendo com que sejamos obrigados a assistir ao filme do lado de fora. Também não poderia deixar de falar da trilha sonora, barulhenta, sons agudos que incomodam, ajudam a passar o clima psicológico do filme. Enfim, como “Magnólia”, “Embriagado de amor” é uma fábula contemporânea, uma história sobre o amor, e o que o amor faz conosco, os seres humanos. Fazendo um trocadilho cretino com o título original do filme, “Embriagado de amor” é um soco (punch) no cérebro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: